Suely Rolnik
São Paulo

Teresa Pinheiro
Rio de Janeiro

Tania Rivera
Rio de Janeiro

Renato Mezan
São Paulo

Christian Dunker
São Paulo

Benilton Bezerra Jr.
Rio de Janeiro

 

Pelo menos desde os anos 1960-70 vêm se afrouxando certos valores típicos da "ética protestante" e da "moral burguesa", diminuindo o peso da "repressão" como um mecanismo fundamental da relação entre os próprios desejos e as normas sociais. Num ambiente de maior permissividade no que se refere às práticas sexuais, e com um enfático estímulo à realização individual, o próprio prazer se tornou prioritário para os sujeitos contemporâneos. É possível afirmar que mudou o lugar atribuído ao outro e à alteridade na configuração destas subjetividades, comparado ao que acontecia algum tempo atrás?

César Merea
Buenos Aires

Joel Birman
Rio de Janeiro

Lucía Barbero Fuks
São Paulo

Mario Fuks
São Paulo

Ricardo Rodulfo
Buenos Aires

ALTERIDADE: O PRAZER E O OUTRO